Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Purificação de Substâncias Através da Técnica de Sublimação

Trabalho por Anônima, estudante de Farmácia @ , Em 15/06/2005

5

Tamanho da fonte: a- A+

PURIFICAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS ATRAVÉS DA TÉCNICA DE SUBLIMAÇÃO

Governador Valadares

Maio de 2005


1.0- INTRODUÇÃO

Uma substância sublima quando passa diretamente do estado sólido para o estado gasoso. O exemplo mais comum de tal fenômeno é a evaporação do gelo seco. Dióxido de carbono é denominado gelo seco porque à pressão ordinárias ele nunca funde ou se torna úmido. Em vez disso ele sublima a -78° C. São Necessárias mais que 5 atmosferas de pressão antes que o gelo seco funda -57° C .

No laboratório , a sublimação é utilizada como um método de purificação para compostos orgânicos desde que eles sublimem e que o sólido sublimado possa ser condensado. Para os sólidos em que a técnica se aplica , ela se constitui num dos melhores métodos de purificação.
Quando a sublimação é utilizada com finalidades preparativas , a pressão atmosférica sobre o composto é reduzida com uma bomba ou trompa de vácuo. Isto faz com que a pressão de vapor do sólido se iguale a pressão atmosférica à temperaturas menores. Decomposição e fusão não são desejáveis sob tais condições.


2.0- OBJETIVOS

Obter o grau de purificação mais elevado possível.

Realizar a técnica de purificação de substancias através da sublimação.


3.0- METODOLOGIA

3.1.- Materiais

  • Béquer de 100ml;
  • Termômetro;
  • Espátula;
  • Kitasato;
  • Rolhas de Borracha;
  • Tubo de ensaio;
  • Bico de gás;
  • Trompa de vácuo;
  • Tela de amianto;
  • Tripé.

3.2.- Método

3.2.1.- Parte 1: Sublimação à Pressão Normal

  • Em um béquer pesou-se cerca de 3 g da amostra.
  • Cobriu-se o béquer com um vidro de relógio e, sobre este, colocou-se cubos de gelo.
  • Aqueceu-se o béquer lentamente, observando-se a formação de cristais.
  • Ao término do processo, raspou-se os cristais e pesou-se o material purificado.
  • Determinou-se o ponto de fusão da substancia pura e comparou-se com aquele determinado para a amostra .

3.2.2.- Parte 2: Sublimação à Pressão Reduzida

  • Em um Kitasato de 125ml, colocou-se cerca de 3g da amostra impura.
  • Conectou-se um tubo de ensaio contendo gelo ao Kitasato, de forma que o tubo não toque na amostra.
  • Conectou-se a trompa de vácuo ao sistema.
  • Iniciou-se o vácuo lentamente, para diminuir perdas.
  • Ao final da sublimação, abriu-se o sistema Cuidadosamente.
  • Raspou-se os cristais to tubo e pesou-se posteriormente.