Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Orçamento e a Contabilidade

Trabalho por Cristiane Costa, estudante de Contabilidade @ , Em 23/11/2004

5

Tamanho da fonte: a- A+

ORÇAMENTO E A CONTABILIDADE


Resumo

O artigo mostra que através dos anos o orçamento e a contabilidade foram adaptando-se e acompanhando as tendências das modernas teorias de gestão. A presença do orçamento passou a ser constante dentro do ambiente contábil. Para as empresas, o orçamento é um instrumento criado pela administração para aumentar seus controles, minimizar os custos. Atualmente é o meio indispensável de confirmação da eficiência dos controles e o fator de maior tranqüilidade para a administração e de maior garantia para os investidores. As empresas que tem um bom sistema orçamentário estão na frente das empresas que não possuem, pois essas empresas já planejaram e determinaram quais os investimentos prioritários e possíveis, dentro dos investimentos desejáveis. Podemos concluí-se, que a perpetuação da empresa está relacionada ao planejamento estratégico a curto, médio e em longo prazo, a um orçamento coerente e transparente. Na era da globalização e da informação, surge a necessidade de se estabelecer uma aliança estratégica entre a Contabilidade e as novas tecnologias de informação, proporcionando as empresas condições mais seguras para tomarem decisões estratégicas mais eficientes.

Palavras chave: orçamento, contabilidade, gestão


Introdução

Diariamente, em toda parte do mundo, nascem diversos tipos de empresas, mas, também varias fecham suas portas. As empresas estão em constantes mudanças, o mercado é muito acirrado e sofre transformações diárias afetando os procedimentos gerenciais. Contudo, nesse processo de mudanças; os gestores têm que trabalhar com controle e assegurar que a empresa esteja preparada, para enfrentar as mudanças e minimizar o sei impacto.

O intuito deste artigo é fazer com que as empresas não sejam surpreendidas com mudanças repentinas na economia. O orçamento passou a interagir com a contabilidade dando condições de fazer inúmera analises antecipada, preparando a empresa, para os eventuais impactos que a globalização expõe as organizações. Portanto, baseados nestes fatos, os gestores devem elaborar um orçamento para suas empresas, pois a falta deste acarretara em uma série de fatores negativos para a mesma.

A contabilidade fornece ao gestor informações contábeis precisas. Com base nestas informações é possível estabelecer um orçamento para resultados futuros. Ao se planejar, organizar e controlar, os resultados serão vistos com clareza.


Orçamento

Orçamento é um módulo criado especialmente para facilitar o trabalho do usuário, pois permite elaborar uma previsão dos elementos Ativos e Passivos, para o plano de conta contábil gerencial.

Através deste controle, podemos comparar os valores Orçados e o valor Realizado registrado em cada conta.

De acordo com Lunkes (2003, p.35), a necessidade de orçar é tão antiga quanto a humanidade. Os homens das cavernas precisavam prever a necessidade de comida para os longos invernos; com isso desenvolveram práticas orçamentárias formais até mais antigas que a origem do dinheiro.

Segundo o autor, a origem da palavra orçamento deve-se aos antigos romanos, que usavam uma bolsa de tecido chamada de Fiscus para coletar os impostos. Posteriormente, a palavra foi também utilizada para as bolsas da tesouraria e também para os funcionários que as usavam. No inicio da Idade Média, a tesouraria do Reino Unido era conhecida como Fisc.

No Brasil, o orçamento passou a ser foco de estudos a partir de 1940, mas não pouco utilizado pelas empresas. A partir de 1970, o orçamento começou a ser freqüentemente adotado pelas empresas.

Através dos anos o orçamento foi adaptando-se e acompanhando as tendências das modernas teorias de gestão.

De acordo com Lopes de Sá (1995, p.337), o orçamento é a previsão de fatos patrimoniais; predeterminação de despesas e receitas de uma entidade; previsão de gastos. De acordo com o rigor contábil, o orçamento pode significar qualquer previsão de fato patrimonial,