Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Dopagem no Esporte

Trabalho por Liliane, estudante de Educação Física @ , Em 04/11/2004

5

Tamanho da fonte: a- A+

Dopagem


INTRODUÇÃO

Doping, ou mais propriamente dopagem é o uso de qualquer substância proibida pela regulamentação esportiva normatizada pelo comitê olímpico internacional.

O doping começou acontecer em larga escala durante a Guerra Fria, quando o esporte era uma forma de propaganda e de luta pela hegemonia mundial. O bloco socialista, sempre mais fechado, a partir da década de 1950 passou a formar atletas vencedores em varias modalidades, que acabaram sendo mistificados como super atletas, produzidos nos mais sofisticados laboratórios da URSS. No entanto, hoje se sabe que os métodos de treinamento não eram o diferencial dos atletas soviéticos, mas, sim, a ingestão de hormônios masculinos, que são capazes de desenvolver o corpo em proporções que não poderiam ser atingidas de outra forma.

Devido ao uso abusivo de substâncias químicas proibidas, o Comitê Olímpico Internacional (COI) criou em 1967, uma comissão formada por médicos para combater o crescimento do doping. Através da análise da urina do atleta, facilmente coletada, é possível detectar as substâncias proibidas como os Narcóticos, Analgésicos, Betabloqueadores, Diuréticos, etc.

A partir de 1992, o COI passou a coletar amostras de sangue para investigar a presença de alguma droga que não tivesse sido detectada na urina.

Em 1999 foi criado o WADA, que desde então vem publicando uma cartilha de orientação aos atletas e toda a Comunidade Olímpica sobre o uso de medicamentos no esporte. A cartilha chegou em 2004 a sua quarta edição, aproveitando a ocasião da disputa por centenas de atletas brasileiros dos Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia.

A publicação traz a lista de substâncias e métodos proibidos, além de explicar os meios de controle de dopagem existentes e a legislação antidoping do COI, o texto toca ainda num ponto importante que é a utilização de suplementos alimentares.

O WADA, pretende, com o estabelecimento das leis antidoping no mundo e o endurecimento das penas, diminuir o uso de substâncias estimulantes para níveis aceitáveis.

O uso dessas substâncias sintéticas é considerado doping ofensivo ao esporte, portanto cabe o afastamento imediato do atleta e a perda da medalha até que seja julgado o processo. Se a competição está sendo regida pela federação internacional ou federação nacional, "confederação", cabe a federação aplicar a suspensão até que seja julgado pelo tribunal da modalidade. Em caso de jogos sul-americanos, pan-americanos e olimpíadas, o atleta além de perder a medalha será julgado pelo ato do doping, cabendo recursos em casos extremamente duvidosos sobre a ingestão da substância constatada no organismo do atleta, conforme normas do COI, ocasionando assim, sérias conseqüências à carreira do atleta, bem como a imagem da modalidade.


O USO DE MEDICAMENTOS NO ESPORTE

O aumento do uso de substâncias ou métodos proibidos, destinados a melhorar artificialmente o desempenho esportivo, tem motivado uma ação intensa das autoridades nacionais e internacionais. O objetivo desta atuação visa evitar uma vantagem desleal de um competidor sobre os demais, além de preservar os aspectos éticos e morais do esporte e, sobretudo, a saúde dos atletas.


ASPECTOS HISTÓRICOS DO DOPING

O problema do doping vem do homem para o esporte e não vai do esporte para o homem. O desejo do ser humano de se superar continuamente, tentando ser mais forte e mais potente, sem respeitar limites, pode ser evidenciado em todas as etapas da história da humanidade. Um autor eslovaco menciona que o primeiro caso de doping ocorreu no paraíso, quando Eva oferece a Adão a maçã, dizendo que se comesse o fruto proibido seria tão forte e poderoso quanto Deus.

Antigüidade

Na China, o Imperador Shen-Nung, cuja dinastia