Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Verdadeira História dos Três Porquinhos

Trabalho por Deize Cristina da Silva Corrêa, estudante de Colegial @ , Em 28/10/2004

5

Tamanho da fonte: a- A+

THE TRUE STORY OF THE THREE LITTLE PIGS

Boa Vista,

Outubro de 2004.


Introdução

O desenrolar desse trabalho se dá na tradução de um texto muito famoso, mas embora na versão contada pelo Lobo Alexander T. Lobo. Que se senti injustiçado pelo fato de ser sempre o vilão, Sendo que na história dos três porquinhos a injustiça no seu ponto de vista se alastrara ainda mais.

O trabalho também é composto de um pequeno comentário crítico, onde o meu ponto de vista se deve idealizar na forma de como o Lobo se sentira e pensara, mas acima de tudo o meu comentário!


A verdadeira história dos três porquinhos

Todo mundo sabe sobre a verdadeira história dos três porquinhos.Ou pelo menos eles pensam que sabem! Eu deixarei dentro de um pequeno segredo. Ninguém sabe a real história!

Eu sou o lobo Alexander T. Lobo. Você pode me chamar de AL. Eu não sei como toda essa coisa grande e ruim começou, mas é tudo injustiça. Talvez é por causa da nossa dieta. Hei, não é que os lobos de falta comem animais atraentes como coelhos, ovelhas e porcos.Isso é modo de como nós somos. Se os hambúrgueres de queijo estivessem cortados, pessoas provavelmente pensariam que você fosse ruim demais!

Mas como eu estiva dizendo, Essa coisa toda de Lobo mau é tudo injustiça. A história real é sobre um espirro e uma xícara de açúcar. De modo que algum tempo atrás, eu estava fazendo um bolo de aniversário para minha querida vovozinha. Senti um frio terrível e comecei a espirrar. Como havia faltado açúcar comecei a caminhar até a rua de baixo para pedi uma xícara de açúcar para um vizinho amigo meu, que lá residia, Ao chegar lá tive uma baita surpresa pois agora meu vizinho era um porco;percebi que ele estava muito luminoso mas não tinha certeza. Só sei dizer que o porquinho tinha construído uma casa de palha, você pode acreditar nisto? Fiquei abismado, pois uma casa de palha não oferece a mínima segurança possível, Daí comecei a me pergunta como existir um porquinho com a mente tão ingênua como aquele que havia construído aquela casa de palha?

Comecei a chamar o porquinho. Olá! Tem alguém ai? Como ele não me atendeu comecei a bater na porta, Mas que maldição, no momento em que toquei na porta ela desabou, e então eu vi aquele pobre suíno debaixo do sofá morrendo de medo daí eu me dirigi até ele e lhe disse relaxe meu amiguinho não te irei fazer nenhum mal a você, só quero que você me empreste uma xícara de açúcar para eu termina o bolo de aniversário da minha querida vovozinha.

Logo em seguida ele me disse que não tinha mais açúcar, então lhe agradeci dizendo muito obrigado! E me retirei da casa e fui a até a porta e lá chegando meu nariz começou a coçar. Não me controlei. Comecei a xingar.Eu aspirei e em seguida espirrei um grande espirro. Lamento muito, pois não pude me controlar! Agora não havia mais nada a fazer a casa daquele porquinho foi a baixo. Eu comecei a procurar naquela imensa pilha de palha não encontrei nenhuma resposta daquele porquinho, pois só depois percebi, o porco estava ali o tempo inteiro em sua casa e parecia um parecia um porquinho morto como um prego na porta.

Pareci um bobo! Por que fiquei envergonhado, pois comecei a pensar, como poderia deixar um jantar de presunto perfeitamente bom naquele monte de palha! Assim comecei a pensar, poderia comer um hambúrguer de queijo ou de outra coisa, mas