Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Intertextualidade na Poesia

Trabalho por Fernanda Angélica Alves Campos, estudante de Letras @ , Em 31/08/2004

5

Tamanho da fonte: a- A+

Intertextualidade na Poesia


A expressividade poética mais a combinação melódica faz da relação poesia-música uma das mais belas combinações de arte. A variedade de grupos sociais e a relação entre os homens são flexíveis. Podemos citar, por exemplo, a música, que também é uma característica própria de cada cultura e sempre se mantém em constantes retomadas do passado. Quem nunca ouviu Carpenters, Pholhas, ABBA, Beatlhes, Bee Gees, grupos de grande sucesso de "alguns anos trás", que hoje ouvimos remixados nas boas casas noturnas. Canções que além da musicalidade possuem poesia. O que possuíam esses grupos, que continuam a tocar em nossas casas, que, diferentemente, hoje não vemos nos grandes "sucessos" meteóricos? Qual o objetivo da fusão entre os elementos literários e musicais?

Bota mão no joelho dá uma abaixadinha, vai lacraia, eguinha pocotó, baba baby, o pitetinho que virou pião, são alguns exemplos, fenômenos musicais aleatórios, acultural, descompromissados com o veio social ao qual pertencem e como estrelas cadentes, vêm com forte luminosidade, logo caem no gosto popular, porém são breves, graças à restrita mensagem poética e social nelas contidas.

A diferenciação entre elas é a poesia implícita na verdadeira música. Música feita com arte, sentimentos, mensagens, música de verdade. É a tradução dos sentimentos expressos através de acordes melódicos e palavras.

O poder que a arte tem de mexer com as pessoas é fascinante. Quando duas manifestações artísticas diferentes se juntam em uma só, então, nem se fala. Letra e música, quando estão nas mãos certas, formam uma dupla perfeita. Às vezes uma frase só faz sentido pela maneira como é cantada; às vezes só percebemos a intenção de uma melodia pelas palavras nela presentes.

O poder rítmico acrescido da força das palavras cria um leque intertextual. Um bom exemplo é a poesia musical de "Palavras", canção de Sérgio Britto e Marcelo Fromer, gravada pelo grupo musical Titãs.

Através de "Palavras" podemos analisar as diferentes visões que podemos ter da poesia musicalizada. Visões objetivas e subjetivas. As que denominamos de objetivas podem ser representadas musicalmente através das palavras em seu sentido semântico e nos sons, sejam estes instrumentais ou vocálicos. As idéias subjetivas estão ligadas às sensações, estados ou emoções do produtor e do receptor.

As diferentes visões sobre a poesia, também podem ser percebidas na música. Assim também é o leitor-ouvinte, que possuem diferentes gostos.

Nos deparamos com pessoas, ouvindo pagode romântico, sertanejo. Os mais animadinhos entram no estilo do axé e do pop. Infelizmente a música como mecanismo artístico-cultural não é tão bem divulgada quanto às "baladas" comerciais.

Clássicos, que acompanham uma expressiva poesia, que possuem um público cativo, selecionado e com o nível cultural crescente, deveriam ser mais divulgadas. Possuir um espaço maior nos meios de comunicação. Não ficar apenas restrito ao pai para filho. Deveríamos valorizar e propagar o que é verdadeiramente bom.