Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Capital Intelectual

Trabalho por Alexandre Salgado Ribeiro, estudante de Administração @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Capital Intelectual

Uma Nova Vantagem Competitiva das Empresas


Introdução

A informação e o conhecimento são as armas termonucleares competitivas de nossa era. O conhecimento é mais valioso e poderoso do que os recursos naturais, grandes indústrias ou polpudas contas bancárias. Em todos os setores, as empresas bem-sucedidas são as que têm as melhores informações ou as que as controlam de forma mais eficaz - não necessariamente as empresas mais fortes. A Wal-Mart, a Microsoft e a Toyota não se tornaram grandes empresas por serem mais ricas do que a Sears, a IBM e a General Motors - ao contrário. Mas tinham algo muito mais valioso do que ativos físicos ou financeiros. Tinham Capital Intelectual.

O capital intelectual é a soma do conhecimento de todos em uma empresa, o que lhe proporciona vantagem competitiva. Ao contrário dos ativos, com os quais empresários e contadores estão familiarizados - propriedades, fábricas, equipamento, dinheiro - , o capital intelectual é intangível. É o conhecimento da força de trabalho: treinamento e a intuição de uma equipe de químicos, por exemplo, que descobre uma nova droga de milhões de dólares ou o know-how de trabalhadores que apresentam milhares de formas diferentes para melhorar a eficácia de uma indústria.

Em uma frase: capital intelectual constitui a matéria intelectual - conhecimento, informação, propriedade intelectual, experiência - que pode ser utilizada para gerar riqueza. É a capacidade mental coletiva. É difícil identificá-lo e mais difícil ainda distribuí-lo de forma eficaz. Porém, uma vez que o descobrimos e o exploramos, somos vitoriosos.

A economia de hoje é fundamentalmente diversa da de ontem. Crescemos na Era Industrial. Ela se foi, suplantada pela Era da Informação. Estamos deixando para trás um mundo econômico cujas principais fontes de riqueza eram físicas. A terra, os recursos naturais como o petróleo, o minério e a energia, e o trabalho humano e mecânico eram os ingredientes a partir dos quais se gerava riqueza. As organizações de negócio dessa era eram planejadas para atrair o capital financeiro a fim de desenvolver e gerenciar essas fontes de riqueza.

Nessa nova era, a riqueza é o produto do conhecimento. O conhecimento e a informação. Compramos e vendemos conhecimento. Hoje, os ativos capitais necessários à criação de riqueza são os ativos baseados no conhecimento.
Eruditos e consultores falam de uma nova economia e denominam a mudança de "mudança de paradigma". As empresas que seguem essas tendências denominam-se " As empresas voltadas para o aprendizado", um termo da moda que designa uma cultura empresarial que celebra a melhoria contínua.

Vivemos em uma época de mudanças econômicas radicais e decisivas. A empresa gigantesca, que surgiu no início do século XX e dominou a vida econômica desde então, embora não tenha acabado, perdeu seu domínio. No lugar desses gigantescos animais hesitantes, estão empresas como a subsidiária norte-americana da Nokia, uma empresa finlandesa de produtos eletrônicos, com um faturamento anual de aproximadamente de US$ 160 milhões - e apenas cinco funcionários. Ou a Nike, fabricante de calçados que não fabrica calçados - seu trabalho consiste em pesquisa e desenvolvimento, projeto, marketing e distribuição, todos os serviços que fazem uso intensivo do conhecimento.

A idéia de uma nova economia baseada no conhecimento está surgindo. As empresas estão aprendendo como gerenciar o conhecimento e alavancar o capital intelectual. Não são os ativos fixos que dão vantagem às empresas, e sim, a inteligência com a qual as máquinas são utilizadas, por exemplo. Gerenciar o conhecimento significa coletar e interpretar dados financeiros e consolidar novas tecnologias. A gerência de ativos intelectuais se tornou a tarefa mais importante dos negócios, porque o conhecimento tornou-se o fator mais importante da produção.

O poder da força muscular, o poder das máquinas e até o poder da eletricidade estão sendo constantemente substituídos pelo poder do cérebro.