Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Corrida - Resistência Aeróbica Geral

Trabalho por Andersom Barreto do Lago, estudante de Educação Física @ , Em 29/09/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

CORRIDA – RESISTÊNCIA AERÓBICA GERAL

5.000 10.000 E MARATONAS

GOIÂNIA – GOIÁS

2003


Fase do anteprojeto de treinamento

Neste treinamento o nosso objetivo é a resistência aeróbica geral.

Resistência aeróbica geral é a capacidade de resistir à fadiga nos esforços de longa duração e de intensidade fraca. É um esforço realizado na presença de O2. as provas de resistência geral estão colocadas na classificação relacionada com o esforço fisiológico; isto porque, quando fazemos um trabalho voltado para a obtenção dessa capacidade física, nosso organismo passa por uma série de transformação benéficas, não somente no caso de atletas, mas também no caso de todos aqueles indivíduos que desejam ter uma vida sadia, maior longevidade e conseqüentemente maior disposição para todos os tipos de atividades inerentes ao cotidiano de cada um de nós.

Dentre os benefícios fisiológicos produzidos no organismo pela utilização do trabalho de resistência geral, citamos alguns, a saber:

  • melhoria da atividade cardíaca;
  • aumento do volume do coração;
  • aumento das possibilidades de absorção de oxigênio;
  • multiplicação dos vasos sanguíneos;
  • melhor irrigação dos tecidos;
  • diminuição da freqüência cardíaca (bradicardia)

 

Fase de diagnóstico

Nesta fase será feita uma avaliação do atleta. Como o próprio nome diz, ela serve para avaliar o condicionamento físico do atleta à prática esportiva, ou para controlar os efeitos do treinamento daqueles já envolvidos em algum programa de exercícios. Sabendo como está o atleta e suas possíveis deficiências, podemos direcionar o exercício para melhorar limitações, escolher as atividades e cargas mais adequadas e evitar que o exercício possa causar algum dano físico. Com os dados da avaliação em mãos, os exercícios podem ser prescritos de acordo com a capacidade individual de cada um e a evolução e os efeitos do treino passam a ser monitorados.

Exames para completar o treinamento:

CARDIORRESPIRATÓRIO: Quanto maior for a resistência cardirrespiratória melhor será o desempenho nos exercícios.

A mensuração dessa capacidade pode ser determinada com a medida direta do consumo máximo de oxigênio (chamado VO2max). O exame será feito em laboratório especializado por meio do teste ergoespirométrico, onde além da possibilidade de ser avaliada a condição cardiológica, é feita a medida direta dos gases respiratórios, que detecta o consumo de oxigênio. Quanto maior o consumo máximo, melhor a capacidade aeróbica.

Também será avaliado o limiar anaeróbico, um índice de intensidade de exercício acima do qual ocorrem alterações respiratórias e metabólicas decorrentes do aumento do ácido lático no organismo. A partir dele obtém-se faixas específicas de cargas de treinamento, relacionadas a uma freqüência cardíaca ideal.

FLEXIBILIDADE: É a amplitude máxima de movimento de uma articulação ou de um conjunto de articulações. Os testes mais comuns de flexibilidade são os da região posterior do tronco e da perna. A avaliação pode ser feita com a utilização de um equipamento chamado Banco de Wells ou com o flexímetro, que permite uma melhor análise da flexibilidade de um segmento corporal específico medindo as angulações alcançadas por diversas articulações (quadril, tronco, ombro, pescoço etc.).

ANTROPOMETRIA: Engloba a determinação das medidas corporais como peso, altura e circunferência de diversos segmentos corporais. Com ele também pode avaliar a composição corporal, com a verificação da porcentagem de gordura e da massa magra.

FORÇA E RESISTÊNCIA: Força e resistência muscular localizada fazem parte da aptidão muscular. Quando conduzidos podem manter ou melhorar a postura e prevenir ou reduzir a dor de origem muscular. Indiretamente, os testes usados para esta avaliação ajudam na análise da condição muscular,por meio da execução de movimentos