Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Resenha Édipo Rei

Trabalho por Sérgio de Almeida França, estudante de Psicologia @ , Em 19/09/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Sófocles. Édipo Rei ( séc. V. ª.C)


Édipo Rei, foi quem governava Tebas, mas antes dele havia sido governado por Laio. Que um dia saiu para consultar o oráculo e nunca mais voltou e segundo notícias foi morto por bandidos.

Édipo indignado pede ajuda a todos os Tebanos para que ajude a encontrar o assassino de Laio. Édipo discute com Tirésias e o manda embora, mas Tirésias não vai embora;e conta á ele que não é filho de seus pais, ou seja de Pólibo de Corinto e de Merópe.

Édipo fica muito confuso. Jocasta entra no meio da conversa e diz que o oráculo lhe disse que quem mataria Laio seria seu próprio filho. Édipo não da ouvidos a Tirésias. Mas Édipo lembra de quando ouviu o oráculo dizer que ele mataria seu próprio pai e se casará com sua própria mãe.

Corinto encontra Édipo e conta que seu pai Pólibo morreu e Édipo desacredita do oráculo, mas Corinto sem saber como conta a Édipo que não é filho como ele de Pólibo; e revela que é filho de Laio e diz como foi encontrado. Quando nasceu, Laio seguiu o oráculo, pois ao consultar diz que ele morreria assassinado por seu filho. Então, resolveu amarrar você, ferir e abandona-ló. Mas foi encontrado por um pastor e adotado pelo rei de Corinto. Édipo começa a se lembrar do que o oraculo lhe falou e lembra que saiu da cidade que morava para evitar a tragédia mas a caminho para Tebas, acaba se envolvendo em uma briga e acaba matando Laio. Jocasta foi a primeira mulher de Laio.

Édipo inconsolado, diz hoje sou um filho de quem não devia nascer, o esposo de quem não devia ser, o assassino de quem não devia matar.

Jocasta ao saber que Édipo já sabe de toda verdade, desesperada entra para o quarto e se mata enforcada em uma corda que oscila do teto. Édipo horrorrizado ao ver a cena retira os colchetes de ouro do vestido da rainha Jocasta e fura os próprios olhos.

Édipo pede a Creonte que lhe tira do país e suplica cuidado por suas filhas. E então, Édipo segue para o exílio.

De modo geral esta história e bem clássica e complexa.Pois Édipo não reconhecia que havia matado seu pai e dormido com sua mãe. Segundo Freud, complexo de Édipo é um conceito fundamental da psicanalise, ou seja, se caracteriza por sentimentos contraditórios de amor e hostilidade.

Freud diz que o destino e oráculo nada mais é que uma materialização de uma necessidade interna.

Em "A dissolução do complexo de Édipo" (1924) Freud diz: quando o ego não conseguiu provocar mais do que um recalcamento do complexo, este permanece no id no estado inconsciente;mais tarde irá manifestar sua ação patogênica." ( ES,XIX, Cd Rom)