Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Variações do Patrimônio Líquido

Trabalho por Dalton Tadeu da Silva, estudante de Administração @ , Em 24/08/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Patrimônio Líquido


1 Conceituação

Chamamos de Patrimônio Líquido o resultado da diferença entre o valor do Ativo e do Passivo e Exercícios Futuros.

O Patrimônio Líquido está divido em:

  • Capital Social;
  • Reservas de Capital;
  • Reservas de Reavaliação;
  • Reservas de Lucros;
  • Lucros e Prejuízos.

1.1 Diferença entre Provisão e Reserva

A principal diferença entre Provisões e Reservas é que a Provisão existe para atender valores que já são conhecidos enquanto Reservas destinam-se á valores estimados.


2 Capital Social

2.1 Conceito

É o investimento efetuado pelos acionistas, tanto no ingresso na empresa como na obtenção dos valores de retorno da atividade não requisitado.

2.2 Capital Realizado

É o valor que efetivamente entrou na empresa, ou seja a diferença entre o Capital Subscrito e o Capital Integralizado.

2.3 Sociedades Anônimas com Capital Autorizado

Algumas S.A. têm Capital Autorizado. O Capital Autorizado é um limite em valor ou número de ações autorizado pelo Estatuto para aumentar o Capital Social. Esta é uma estratégia que flexibiliza a empresa em um momento que exista a necessidade de injeção de capital.

2.4 Aspectos Contábeis com relação a Ações

2.4.1 Ações

Ações é a menor parte em que se pode dividir o capital de uma empresa.As ações podem ser de natureza Ordinária ou Preferencial.

2.4.2 Valor Excedente (Ágio) na Emissão de Ações

2.4.2.1 Ações com valor Nominal

Na conta Capital Social, as ações devem ter seu valor nominal, caso sofram influência de ágil, esta diferença deverá ser registradas em conta de Reserva de Capital.

2.4.2.2 Ações sem Valor Nominal

No caso das Ações sem Valor Nominal, o preço de emissão é estipulado já com parte destinada á formação de Reserva de Capital.

2.4.2.3 Reembolso de Ações

Exceto no caso da Legal, as ações reembolsadas são consideradas como pagas á conta Lucro ou Reservar, isto sem redução do Capital Social. Poderá existir redução do Patrimônio Líquido somente quando, no prazo de 120 dias quando tenham sido reembolsadas á conta Capital Social.

2.4.2.4 Resgate de Ações

O resgate das ações é feito quando a intenção é tira-las de circulação. Esta operação poderá reduzir ou não o Capital Social. Caso a intenção seja manter o Capital Social, então será utilizado a reserva ou o Lucro Acumulado.

2.4.2.4 Amortização de Ações

Esta operação quando a empresa distribui aos acionistas suas ações que pode ser de forma de parcial ou integral. No caso de liquidação, só concorrerão ao acervo líquido depois de asseguradas as ações amortizadas.

2.5 Correção Monetária do Capital Realizado

Todas as contas são corrigidas monetariamente, exceto a Correção Monetária do Capital realizado. O Capital Social somente pode ser aumentado am Assembléia Geral. A lei estabelece que o produto de correção deve transitar na conta de Reserva da Capital.


3 Reserva de Capital

3.1 Conceito

São valores que entram na empresa, mas, que, porém não circulam pelo Resultado como Receitas. Estes montantes têm como objetivo reforçar o capital.

3.2 Conteúdo e Classificação das Contas

3.2.1 Plano de Contas

  • Correção monetária do capital realizado
  • Ágio na emissão de Ações
  • Alienação de partes beneficiárias
  • Alienação de bônus de subscrição
  • Prêmio na emissão de debêntures
  • Doações e para investimento

3.2.2 Alienação de partes Beneficiárias e Bônus de Subscrição

3.2.3 Prêmio na Emissão