Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

ARMP - Auditoria em Estoques

Trabalho por Marcos Vinicius Carneiros, estudante de Administração @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

ARMP - AUDITORIA EM ESTOQUES


1. AUDITORIA NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS.

1.1 Conceito e definições de Auditoria.

O termo auditoria, de origem latina (vem de audire), foi utilizado pelos ingleses para rotular a tecnologia contábil da revisão (auditing), mas hoje tem sentido mais abrangente.

Inicialmente a auditoria limitou-se a comprovar a veracidade dos registros contábeis, visando observar a exatidão desses registros.

A tendência moderna representa uma evolução relativa que primitivamente se atribuía à auditoria e que se limitava ao campo de simples verificação, o conceito hoje é dinâmico e prossegue em evolução, atribuindo-se à auditoria outras importantes funções, abrangendo todo o organismo da empresa e da sua administração, a técnica da auditoria vai ainda além e passa ao regime da orientação, da interpretação e até da previsão de fatos.

1.2 Objetivo:

A auditoria dos estoques tem a finalidade de:

  • determinar sua existência, que poderá estar na companhia, em custódia com terceiros ou em trânsito;
  • determinar se é pertencente à companhia;
  • determinar se foram aplicados os princípios de contabilidade geralmente aceitos, em bases uniformes;
  • determinar a existência de estoques penhorados ou dados em garantia; e
  • determinar se estão corretamente classificados nas demonstrações financeiras e se as divulgações cabíveis foram expostas por notas explicativas.

1.3 A Auditoria pode ser:

1.3.1 A Auditoria Externa ou auditoria independente surgiu como parte da evolução do sistema capitalista. Para que terceiros invistam em uma determinada empresa é preciso que esta empresa demonstre os seus resultados, essa necessidade de informação era para que o investidor pudesse avaliar a segurança, a liquidez e a rentabilidade de seu futuro investimento, e para verificar esses números era preciso que fossem confirmados por uma pessoa/empresa idônea e sem ligação com a empresa em questão, surgindo assim o auditor externo.

1.3.2 A Auditoria Interna é a tarefa designada a avaliar de forma independente, dentro de uma organização, as operações contábeis, financeiras e de outros tipos , no sentido de prestar um serviço à administração. É um controle administrativo, cuja função é medir e avaliar a eficácia de outros controles.

Autoridade e Responsabilidade.

A Auditoria Interna é mais uma função assessorial que de linha. Por isso, o Auditor Interno não exerce autoridade direta sobre os outros membros da organização, cujo trabalho revisa.

O Auditor Interno deve ter liberdade, para revisar e avalizar as normas, os planos, procedimentos e registros.

1.4 Procedimentos de auditoria.

Os procedimentos de auditoria a serem utilizados são dependentes da efetividade do controle interno e da materialidade.

Segue abaixo alguns procedimentos ilustrativos que poderão ser utilizados durante a execução dos trabalhos de auditoria:

Exame físico.

  • contagem de estoques de matérias-primas, processo acabados e materiais em consignação ou com terceiros.
  • Confirmação.
  • confirmação de estoques com terceiros;
  • confirmação de estoques de terceiros;
  • confirmação de estoques em consignação.

Documentos originais.

  • exame documental das notas fiscais por compra e pagamentos;
  • exame de contratos de compra e venda;
  • exame documental das apropriações de matérias-primas e mão-de-obra;
  • exame de atas e assembléias.


Cálculos.

  • soma de contagem de estoques;
  • cálculos das quantidades pelo preço unitário;
  • cálculos dos impostos;
  • apropriação das despesas gerais de fabricação.


Escrituração.

  • exame da conta de razão de produtos acabados;
  • exame da conta de razão de importações em trânsito;
  • exame das ordens de fabricação;
  • follow-up das contagens físicas.