Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

O Que é Leitura?

Trabalho por Erika Lima, estudante de Economia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

O Que é Leitura?

MACAPÁ/AP

Maio/2003

 

Resenha Crítica

1.1- Referência Bibliográfica

MARTINS, Maria Helena: O que é leitura. São Paulo: Brasiliense, 2003.

1.2- Credenciais do Autor

Maria Helena Martins é de Porto Alegre, formada em letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mesmo local onde fez mestrado.

Em 1979, criou uma "Salinha de Leitura" para crianças, decisiva para a realização deste O que é leitura (1982), e que também originou seu doutorado em Teoria da Literatura e Literatura Comparada, na Universidade de São Paulo.

Entre 1973 e 1991, lecionou na graduação e na pós-graduação da UFRGS, e na USP, principalmente Teoria da Literatura e Literatura Infantil. Nos anos 1980 veio para São Paulo, onde coordenou projetos de extensão para incentivo à leitura ligados à USP, ao MEC e às secretarias de Educação do Estado e do Município.

Na década de 1990, além de ministrar cursos, elaborou e coordenou projetos de formação de mediadores de leitura, retomando a pesquisa pela perspectiva da interação de linguagens e leitores.

Em 1997, criou o Centro de Estudos de Leitura e Psicanálise Cyro Martins, em Porto Alegre, onde promove eventos, cursos, elabora e desenvolve projetos interdisciplinares a partir da obra ficcional e ensaística desse autor, e organiza publicações como Cyro Martins 90 Anos.

1.3- Resumo da Obra

A leitura é o ato de se envolver, de se sensibilizar, de criar, de conhecer e de se atualizar.

É um envolvimento tanto psicológico quanto prático, físico, que a pessoa adquire, pois sua sensibilidade de conhecimento ultrapassa todos os sentidos.

Através dos livros, jornais, revistas, gibis, etc, o ser humano descobre um mundo esclarecedor. Desde os tempos primitivos a escrita foi necessária para identificar momentos, descobrimentos e com isso, no decorrer dos tempos ela se desenvolve para dar continuidade aos avanços da humanidade.

Decorrência disso, a leitura torna-se uma mania, uma maneira de se relacionar, de se informar em relação com outros pensamentos, outros países, culturas diferentes, religiões, etc.

O processo de comunicação, tornou-se a essência do mundo moderno, como Paulo Freire disse:

"A leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra, e a leitura desta implica a continuidade da leitura daquela".

Ele pôs, que, a cada leitura, cada notícia leva a uma outra e assim sucessivamente a leitura torna-se complemento de outra e mais outra, dando continuidade entre gerações e gerações.

O ser humano possui desde cedo, certos contatos com o mundo que gera no decorrer do tempo, descobrimentos e curiosidades. A mente humana naturalmente organiza fragmentos, experiências que começamos a ter com o mundo, nisso sente a necessidade de organiza-las, de demonstra-las, o aprendizado que a vida nos oferece é uma forma de aprender, mas com as diversas exigências da vida, a ler, a iniciar a essência da leitura.

Muitos estudiosos afirmam que o homem tem possibilidade de sozinho orientar-se e inicia o processo da leitura através de sua experiência devida.

Podemos até dar exemplo de Tarzan, que sozinho numa ilha perdida, aprendeu a ler. O que pensar, a leitura inicia a partir do contexto pessoal.

Não são todas as pessoas que possuem essa facilidade ou esse dom de se valorizar para ir mais além.

O autor nos mostra duas formas de aprendizado da leitura, uma ficcionista, como a do Tarzan e a outra autobiográfica, onde a força e a vontade transformou um homem ao se apossar de um livro começou a transportar todos os sentimentos e através das